Uma das maiores lições que aprendemos no nosso caminho é que o mundo não está acontecendo para nós – nós estamos acontecendo com ele.

Quando a zona de conforto finalmente nos desconfortou de vez, nos vimos diante de uma grande encruzilhada com uma única questão: que a gente não aguenta mais é claro, mas o que a gente vai fazer agora? Ok, temos duas opções dentro de uma única encruzilhada. A primeira opção seria continuar em uma vida ilusoriamente satisfeita e confortável, sem criar nossas próprias circunstâncias e deixando de lado nossa potencialidade para fazer acontecer.

Coragem

O outro caminho é o que está acontecendo agora: a coragem se tornou nossa amiga número 01, nos fortalecemos a caminho da liberdade, quebrando formas antigas de pensar e agir e criando nossas próprias fórmulas. Criamos nosso mundo e nos apoiamos no que poderíamos fazer por nós e também por outras pessoas.

Focamos na coragem de mudar o nosso mundo, acima de tudo. Esse era o norte e o principal objetivo. À medida que avançamos através do processo de mudança, novos níveis de consciência surgiram em nós, tornamo-nos menos ligados a pensamentos de medo, menos apegados ao mundo físico e se apegando apenas naquilo que era importante para nós naquele momento: o amor, nossa fonte interior, a nossa luz interior, nossas expectativas, nossos anseios, nossos sonhos.

O que nos apegamos é o que nos conectou com a nossa paz. Não libertamos nosso medo, apenas agimos apesar do medo, junto com o medo. O grande desafio é enfrentar as emoções baseadas no medo e aceitá-lo como parte integrante do processo de mudança. Quanto mais nós permitimos que os temores venham à tona, menos poder o medo tem sobre nós e nós podemos então libertá-lo.

Como Freud disse: “Mudança acontece quando a dor de mudar é menor do que a dor de permanecer o mesmo”. E foi exatamente isso que aconteceu conosco, nós precisamos ir em frente pelo desconforto que o conforto nos causava. E a coragem foi consequência desse enfrentamento, foi consequência do agir. A coragem só é despertada a partir da ação, a partir da constatação que não dá mais para ficar parado no mesmo lugar.

Coragem é sentir medo e mesmo assim ir em frente. É parar de pensar no que você tem a perder, e sim no que você tem a ganhar. É ir em frente de qualquer maneira.

Thiago Campos é jornalista. Lívia Duccini é psicóloga. Sonhadores e curiosos, são apaixonados por viagens, gastronomia, escrever e pela simplicidade dos pequenos momentos. Acreditam em um mundo melhor, onde as pessoas possam trabalhar com o que amam e realizar os seus sonhos.
Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on TwitterGoogle+0